Categoria: blog

Existe gordinho saudável?

A obesidade por si só está associada a maior risco de diversas doenças, assim como ao aumento de mortalidade. Diversos são os motivos para este incremento de morbidade, como as questões cardiovasculares, infecções e câncer! No entanto, na prática diária da endocrinologia e metabologia, nos deparamos com situações aparentemente contraditórias. Solicitado exame de um paciente com excesso de peso e... TUDO NORMAL!! E aí, será que não há nada pra fazer? Seria aquele um obeso abençoado? Foi escolhido para, apesar de todos os efeitos sabidos da gordura visceral e seu papel inflamatório no organismo, ser salvo de suas perversas consequências? Recente estudo nos ajudou a jogar luz sobre este assunto. Os pesquisadores pegaram gordura subcutânea de três tipos de pacientes: peso normal, obesos com exames de sangue normais e obesos com exames de sangue alterados. Nesse tecido gorduroso, dosaram a atividade de vários genes que causam doenças. E o resultado foi que a...
Saiba mais No comments share

Fechar a boca não emagrece!

A obesidade é a maior epidemia do planeta. Como qualquer assunto recorrente, o que mais existe para resolvê-la são palpites. Esses são um grande problema, pois um palpite repetido mil vezes acaba se tornando uma verdade. O clássico dos clássicos é: fecha a boca que emagrece. Quem nunca ouviu? Oras, fechar a boca não é tratamento. É tortura. E pode até desencadear transtornos alimentares (anorexia, bulimia...). Se submeter a jejuns e pular refeições leva a maior ansiedade e maior consumo alimentar. Comer melhor e mais vezes ajuda na manutenção da saciedade. Perigo! Comer melhor não é comer mais ou menos gostoso, mas saber o que comer. Tampouco resolve comer mais vezes ao dia, mas não saber selecionar. Comer errado e mais vezes só trará dificuldades! Quando em consulta, muitos pacientes são bastante ansiosos sobre qual a medicação que poderá ajudá-las. No entanto, <strong>o melhor remédio para fome ainda é comida!</strong> Claro, a medicação...
Saiba mais 1 comment share

Dormir pouco pode levar à obesidade

Há quem diga que a insônia é um dos males do século XXI. E não é por menos, já que com a rotina intensa do dia a dia e a vida agitada nas cidades, está cada vez mais difícil dormir ao menos 7 horas, como é o recomendado. Porém, quanto menos se dorme, maiores são os riscos para o desenvolvimento de problemas de saúde, entre eles a obesidade. Diversos estudos recentes relacionam a curta duração do tempo de sono com o aumento do índice da massa corporal (IMC) e à obesidade. Uma pesquisa espanhola realizada em 2000 com dois grupos de indivíduos apontou que, mesmo controlando as variáveis de gênero, idade e outros fatores, o grupo de pessoas que dormia 6 horas por noite tinha um IMC maior do que o grupo que dormia 9 horas. Outro estudo realizado nos Estados Unidos, em 2002, investigou a ligação entre a obesidade e o sono...
Saiba mais No comments share

O que é diabetes insipidus

O diabetes insipidus é uma condição rara, caracterizada pela excreção de um grande volume de urina e excessiva ingestão de líquidos devido à sede insaciável. Embora essa característica esteja presente no diabetes mellitus, as duas doenças são completamente diferentes. Curiosamente, o fato das duas doenças fazerem urinar além do normal é a origem do nome diabetes - “sifão”, enquanto uma tem a urina doce (mellitus), a outra apresenta a urina sem sabor (insipidus). Não existe cura para o diabetes insipidus, mas tratamentos estão disponíveis para aliviar a sede e normalizar a produção de urina. Causas O corpo humano produz, por meio do sistema endócrino, uma série de hormônios, que são substâncias químicas responsáveis por diversas funções, como o ato de sentir fome, o sono, a sede, o bem-estar, entre outros. Um desses hormônios se chama antidiurético (ADH) ou vasopressina. Ele é produzido pelas células nervosas do hipotálamo, pequena estrutura localizada no cérebro, bem atrás...
Saiba mais No comments share

Aterosclerose é responsável pela metade das mortes em todo o mundo

A doença aterosclerótica, ou aterosclerose, são termos que caracterizam o estreitamento e enrijecimento das artérias do coração e de outras localidades do corpo humano pelo processo de deposição de placas de gordura. Com o passar do tempo, os vasos podem chegar a se obstruir totalmente, restringindo o fluxo sanguíneo. Como consequência, a região afetada recebe uma menor quantidade de oxigênio e nutrientes, tendo suas funções comprometidas. A aterosclerose é a causa de diversas doenças cardiovasculares, como infarto e acidentes vasculares cerebrais, sendo responsável pela metade da morbidade e mortalidade em todo o mundo, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia. Fatores de risco A aterosclerose é um processo multifatorial e, quanto maior o número de fatores de risco, maior a chance de desenvolver a doença. Os fatores de risco são: hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, sedentarismo e dislipidemia. Esse último se refere a uma alteração nos lípides: colesterol total, HDL, LDL e triglicérides. Níveis elevados do colesterol...
Saiba mais No comments share